Neusa Mendonça: escritora, Marília-SP.


                                Administração do tempo ou administração da vida.?



             Vai assim, daqui, desse jeito, o abraço afetuoso que não pude dar no padre Anton "Suitbert" Hellinger que nasceu em Leimen, Alemanha, no dia 16 de dezembro de 1925  e se foi desse mundo aclamado mundialmente por nós todos, no dia 19 de setembro de 2019, com 93 anos.

                 Ele é conhecido simplesmente como Bert Hellinger e reconhecido psicoterapeuta alemão, inventor das Constelações Familiares.



                   Por causa de Hellinger sou o que sou hoje diante da minha família das pessoas, de Deus e de mim mesmo. Psicanalista, sua energia me ajudou a alimentar meu lado terapeuta, tentando me curar aprendi a importância de quem se ocupe de curar pessoas.

   
                   Por isso, quanto a você, cuidado com o vazio de uma vida ocupada demais!

                    O tempo é indomável! Um dia parece pouco para a quantidade de coisas que precisamos fazer!

                      Se for mulher então, fala sério.

                      O universo feminino é um emaranhado de papéis, atividades e responsabilidades, e a sensação é essa mesmo: “nunca vou conseguir administrar direito o tempo e dar atenção a tudo o que é preciso.”

                       Quantas mulheres você conhece que padecem de culpa por ter abdicado do tempo com os filhos, com a família ou os amigos com a justificativa de precisar produzir mais, trabalhar mais, ser melhor remunerada?

                 O autocuidado é um ato de amor com a pessoa mais importante da sua vida: VOCÊ!

                 Se você não tem esse sentimento, maravilha para você, mas essa é uma falácia que atormenta a vida de boa parte das mulheres que aparecem no consultório, inclusive a minha mulher e traz sentimentos de frustração, culpa, sofrimento, que é a ideia equivocada de que seria preciso abrir mão de uma área da vida para atingir a plenitude em outra.
                É bem comum ouvir das mulheres:
               “Eu não faço academia porque não tenho tempo”, “Eu gostaria de fazer aquele curso sobre administração financeira, mas não tenho tempo”, “Seria ótimo encontrar minhas amigas, mas preciso trabalhar, não tenho tempo”.
                 Se você se identificou com isso, não se preocupe e não se admire se lhe disser que boa parte das mulheres que trabalham reproduzem esse tipo de justificativa para não fazer aquilo que já sabem que deveriam fazer!
                   O que está por trás disso?
                    Em primeiro lugar, é não ter consciência de que mesmo quando não escolhe não ter tempo para isso ou aquilo, a pessoa está, na verdade, elegendo inconscientemente como usar o seu tempo.
                    Em segundo lugar, quando diz “não tenho tempo”, você está definindo ou deixando que definam o que é prioridade para você naquele momento da sua vida.
                     Explico: quando você diz “não tenho tempo para cuidar da minha alimentação”, você está consciente ou inconscientemente dizendo a si mesma que essa não é uma prioridade para você naquele momento. Mas, será que vai ser alguma dia!).
                      Você pode me dizer, “mas, eu sei que é importante cuidar da alimentação!”
                       Será que existe alguma forma de fazer gestão do tempo, ou o que existe é fazer a gestão da sua própria vida?
                       Se você ainda não se deu conta, o tempo é hoje o maior  dos nossos ativos.
                       Todos os dias e a cada minuto estamos perdendo um pouco dos nossos dias, estamos diminuindo um ponto na escala da vida.

                        Não nos damos conta disso porque simplesmente não paramos para refletir sobre, porém, é forte e significativo quando finalmente percebemos como estamos gerindo nossa vida e como estamos deixando a vida escorrer pelos dedos, enquanto tentamos, em vão, conciliar os vários papéis que temos de desempenhar, seja homem, seja mulher.

0 Comentários