Quando você vê uma transmissão de desfile de carnaval, de shows do Rock in Rio, de uma disputada partida de futebol do seu time preferido contra o seu pior rival, você pode, com sorte e se quiser muito, estar no conforto do seu lar se divertindo com a família e os amigos. 

                 Nesse mesmo instante você é torcedor, telespectador, consumidor. 

                  Nesse mesmo instante a Rede Globo e todo mundo que mostra o espetáculo ali exibido está trabalhando duro para divertir o grande público, manter o IBOPE e assim garantir o faturamento e o consumo em massa de seus produtos com a exposição da marca que, as vezes é o próprio rosto dessa pessoa.

                 Recentemente a Rede Globo publicou  nas suas peças de divulgação e no portal dela que equilibrou a política de exibição de jogos na TV Aberta entre os times grandes no primeiro ano em que isso vai contar para a cota em dinheiro dos clubes.

                 É o que mostra a grade da emissora no Brasileiro. A única exceção é o Atletico-PR que tem um número maior de partidas na tela porque não tem contrato de pay-per-view com a emissora, isto é, só consegue mostra-lo nesta plataforma.

                 Pelos novos contratos de televisão, a Globo paga 40% de forma igualitária, 30% por exibição de jogo na TV Aberta, e outros 30% por posição no campeonato. Ou seja, serão distribuídos R$ 180 milhões por transmissão de jogo na Aberta.

                 Como a previsão é de transmitir em torno de 90 jogos na TV Aberta, cada clube deve ficar com algo entre R$ 1 milhão e R$ 1,2 milhão cada vez que seu time aparecer na TV Aberta.

                 A tabela mostra os jogos exibidos na TV Aberta até a 32a rodada do Brasileiro. O Atletico-PR lidera com 16 partidas exibidas, uma delas não está marcada na tabela, mas foi transmitida. 

                A emissora tem usado as partidas do clube seja na TV Aberta, seja na internet, o que também conta como exibição na aberta. Assim, impede o apagão de determinadas partidas e concorre com a Turner em determinados casos.

                 Fora o time paranaense, o Corinthians aparece em segundo com 11 partidas, mas a sua vantagem para os outros é bem menor do que em outros anos. E, ao contrário de outros anos, o Flamengo não é o time com mais exibições nem no Rio de Janeiro pois tem nove partidas. 

                O Vasco, por exemplo, tem dez jogos. Isso se explica também por uma estratégia da Globo de incluir mais confrontos de rubro-negros e corintianos no ppv para incentivar a assinatura de pacotes do programa.

                Entre os clubes com nove partidas, estão Santos, Palmeiras, Internacional, Cruzeiro, Atlético-MG e Botafogo. Ou seja, mesmo a agremiação alviverde, que inicialmente tinha menos jogos por demorar a assinar o contrato, já se aproximou dos que têm mais transmissões. 

               Depois deles, há outros grandes com oito partidas exibidas como Fluminense e São Paulo. O único dos grandes times que destoa é o Grêmio com apenas cinco jogos na TV Aberta, o que se explica porque a Globo não costuma priorizar times que colocam reservas e têm partidas pouco atrativas.

              Considerando os valores por jogo, o Athletico já acumulou em torno de R$ 17 milhões em cotas, quase 10% do total por exibição. Outros clubes grandes vão acumular pouco mais ou pouco menos de R$ 10 milhões.

              Fora isso, times como o Bahia e Goiás têm um total de seis partidas na grade de TV Aberta. Quem tem números bem abaixo dos outros é a Chapecoense com só um jogo exibido na Globo

0 Comentários