"A hora do encontro é também despedida. A plataforma desta estação é a vida."  
(Milton Nascimento e Fernando Brant)


Ode à psicóloga Liciane  Dias Pacheco, que acompanhei de longe, por aqui, no episódio da viagem eterna de seu pai, o perene amigo Licinio Dias Pacheco, de felicíssima memória, cuja  partisancustou caro para ela . Palco dessa história é Capivari, SP.

Quem, afinal, estaria, porventura preparado para perder a mãe, ou o pai? Ou ambos, enfim?


Quando os pais morrem, nada mais será como antes para os filhos. 


Parece que a vida se torna mais difícil porque o abrigo deles não está mais ao nosso lado. Quando os pais não estão mais conosco, ficamos órfãos e isso é difícil, não importa quantos anos você tenha. 


Mesmo se você criou sua família, a figura de seus pais está sempre ao seu lado, ou pelo menos, você os tem presentes.


Não podemos mais voltar à infância para  nos sentir  crianças, não nos sentiremos envoltos em seus abraços, beijos e palavras de encorajamento. 


Todas as pessoas, mesmo que sejamos adultos, têm aquela criança viva dentro de si que quer ser protegida o tempo todo pelos pais. Procuramos pelo amor incondicional deles sempre que necessário, mas quando eles partirem, essa opção não será mais possível.





Você nunca estará preparado para dizer adeus para sempre





Saber que nunca mais os verá é a coisa mais difícil de enfrentar. Não é o mesmo que viver e saber que eles estão lá. Agora você não pode mais desfrutar da companhia deles.





Fato é que ninguém está preparado para enfrentar essa dor, mesmo que tenham chegado a 100 anos. O tempo nunca é suficiente para estar ao lado das pessoas que realmente amamos. A morte dos pais é uma grande adversidade que nunca é completamente superada. A morte é incompreensível e, portanto, consideramos injusto tirar do nosso lado os seres que mais amamos, aqueles que nos deram vida.


A morte, se for uma causa natural, pode ser mais fácil de aceitar, mesmo que continue dolorosa, mas quando a morte é causada por um acidente, uma doença longa e dolorosa ou nas mãos de um assassino, a maneira de assimilar é muito pior.


Seus pais não apenas partem … Uma parte de você parte com eles
Não apenas o corpo se vai, mas uma parte de você os acompanha. As melhores lembranças, seu amor, seu abrigo …


Por isso que é tão importante aproveitar o máximo que puder ao lado deles, sentir seu amor incondicional, ser paciente e doar todo carinho possível.


Se você não fizer isso, se sentirá culpado e pode até se afundar na tristeza. Se você tem algo pendente com seus deve buscar o perdão e reconciliação agora, e tentar ser feliz e manter um bom relacionamento.




Sensação triste de abandono    




É provável que, quando seus pais partirem para sempre, você se sinta um pouco abandonado. É necessário superar as fases do sofrimento para viver a vida com os pais no coração. O corpo se vai, mas a alma fica com você.


Seus pais sempre serão seus pais, embora agora você não os tenha mais como protetores.  Enquanto estiverem vivos, esteja ciente de que não serão eternos e os aprecie.



0 Comentários