Título da canção "Eternas Ondas" do Zé Ramalho - texto no final

O mal é achar que os outros vão nos esperar. Como farão isso se perderem seu ritmo ou lugar no tempo. Não deixe nada  para depois. Beije e abrace o tempo agora! Agora e agora de novo!



Ei você ai, me dá um tempinho ai, me dá um tempinho ai, me dá um tempinho ai. 
"Ah não vai dar? Não vai dar não?



Então vai ver a grande confusão...." (paráfrase de Lamartine Babo)




Mas, ei você ai, está nessa multidão sem tempo com tanto tempo?



Sem tempo para tudo e com tempo para nada?



Não sabe organizar o próprio tempo no insubordinável tempo do mundo?



Tem como organizar esse tempo de vida que temos na vida?



Está ai: Repleta(o) 



Imaginando?



 Criando? 



Ocupad(a)o?  Atrasad(a)o? 



Trabalhando? 



Sem tempo?






 De quanto tempo exatamente você precisa?



Quanto tempo você acha que tem?



Quanto tempo você sente que tem?



Quanto tempo você realmente tem?



Quantas coisas você deixou de fazer por você e por outras pessoas ao dizer que está sem tempo?



Quantas vezes, correndo com algo contido no tempo, você não ajudou alguém ou deu atenção para pessoas que poderiam até ser suas amigas e você perdeu tempo?



Acha importante continuar asssim, sem tempo ou moendo o seu próprio tempo?



Já contabilizou como dá ouvidos a quem não deve, a quem rouba seu tempo?



Com quanta leveza você superaria o desperdício de tempo com essa agenda, pessoas e devaneios que roubando seu tempo sugam sua energia, confiança e felicidade?



Jamais atraia nada que desperdice seu tempo, seu dinheiro, seu amor, sua energia.



Até os entes famíliares, por presença ou ausência,  podem provocar em nós feridas profundas, difíceis de curar. 



Nunca temos tempo para nada e milhões de coisas para resolver. 



Habitamos num tempo disperso, num lugar distante do essencial, quando vamos nos dispersando das pessoas que amamos.



Divirta-se ao somar o que, em meio às atribulações diárias, você faria melhor se refletisse mais, se escolhesse ao invés de deixar que escolham para você. 



Se pararmos para refletir sobre os minutos somados em que respiramos sem pensar, apenas no piloto automático, assim fora do propósito de vida, quanto tempo se vai atoa, sem volta? 



 Os instantes em que paramos para relaxar momentaneamente e olhar para o nada, o resultado seria um monte de tempo, que, olhando bem,  é mais que o necessário para dar atenção às pessoas queridas, ao gato e ao cachorro.



Pessoas maduras já sabem que o tempo é sensível e tem a orgulhosa mania  de não voltar atrás.



Vivemos numa era na qual dizemos não ter tempo mas, na verdade, não sabemos organizar o nosso tempo.



Quando alguém disser "não tenho tempo" para lhe atender uma solicitação, tenha certeza, essa pessoa não está lhe dando prioridade. Simples assim.



E que engraçado é o tempo! Ele conserva e destrói, é como uma pássaro vivo, em que, ao comer o inseto, o leva à morte.



Precisamos de nove meses no tempo do tempo para nascer, mas é esse mesmo tempo onde nascemos que nos leva embora. 



Devagar, bruscamente, ou de todo jeito, o tempo destrói, devora! 



A ele foi dado o poder de construir e de devorar, com fazer esforço.



Mas é o tempo que transforma a uva em vinho, o vinho em vinagres. Quanto mais tempo, melhor é o resultado.



Mas até para degustar essas delícias precisamos de tempo, tempo para o sabor ser tão bom e perceptivo quanto se deve. 



Assim também é o amor. Faz o tempo passar, mas se não lhe dedicarmos tempo, ele se desfaz.



Se você utilizar seu tempo para ser essencialmente efetivo, conseguirá produzir melhor e ainda ter tempo para viver melhor a vida.



Ninguém tem tempo. O tempo que tem todo mundo. 



O mal é achar que os outros vão nos esperar. Como farão isso se perderem seu ritmo ou lugar no tempo. Não deixe nada  para depois. Beije e abrace o tempo agora! Agora e agora de novo!


..............................





                                              Eternas Ondas

Do Zé Ramalho

Quanto tempo temos antes de voltarem aquelas ondas
Que vieram como gotas em silêncio tão furioso

Derrubando homens entre outros animais
Devastando a sede desses matagais

Devorando árvores, pensamentos seguindo a linha
Do que foi escrito pelo mesmo lábio tão furioso
E se teu amigo vento não te procurar

É porque multidões ele foi arrastar.

0 Comentários