Que atitudes podem melhorar o relacionamento de um homem com uma mulher dentro de casa?

Imaginável que em tempos de confinamento isso fique mais latente naquelas mulheres que desenvolveram superproteção dentro de si, treinadas, talvez, para tentarem substituir as sogras na função de mimar o bebezão.

Parece que essas mulheres se sentem feito uma clínica de reabilitação.

Agora com todo mundo dentro de casa por esse tempo integral, correndo de um vírus invisível.

Há uma das partes de um relacionamento em que um ajuda o outro, mas cada um colhe de acordo com o que plantou. Isso é casal.

No entanto, nenhuma mulher precisa consertar homem para ter um meninão para chamar de “seu”.

Cá entre nós, homem que quer “sua” mulher no dispensável papel de sua mãe precisa é de terapia.

Normalmente infantis, frágeis e autocomplacentes, ele não enfrenta nada, se faz de vítima e não luta para ser uma pessoa melhor.

A contradição parece mais insuportável com maior  conhecimento do avanço do comportamento e nesse dias diante do limite do confinamento em favor do COVID 19.

Em pleno século XXI, com essa crise na saúde pública e na economia mundial, firmam-se as velhas dores da mulher, que também só na primeira semana de confinamento vê crescer em 50% o índice de violência domestica contra ela.

Vemos que ainda perduram aquelas velhas  ideias machistas medievais, tornando mais difícil, às vezes, vislumbrar avanços significativos nessa área.

É o caso, por exemplo, de certos papéis relegados às mulheres, os quais não condizem em nada com o que elas devem ser ou fazer.



Então, que atitudes podem melhorar o relacionamento de um homem com uma mulher?


Rainha do lar, por quê? Se casa não é castelo, nem reino.

Não há mais obrigação nenhuma de a mulher tomar para si as tarefas domésticas, enquanto o marido assiste ao noticiário.

 Amor é cumplicidade, troca, ajuda mútua, ou seja, quando o parceiro ajuda nas tarefas do lar, não faz mais nada do que obrigação.

Homem não deve mais se gabar por ajudar a mulher em casa, afinal, trata-se tão somente de assumir o que cabe a ambos, na mesma medida.


E se dizem que por trás de todo grande homem existe uma grande mulher?


O que isso quer dizer essa coisa desproporcional?

Oras, mulher fica ao lado, à frente, fica onde ela quiser. Atrás é que não temos visto mulher nenhuma ficar.

Hoje, principalmente, com a mulher se destacando em todos os espaços que existem, essa frase machista não tem mais sentido.

É por essas e outras que acabam colocando sobre a mulher responsabilidades que não são dela.

Se, antes, ela parecia estar relegada a um segundo plano, sacrificando-se pelos filhos, pelo casamento, pela família, hoje isso não tem mais coerência – se bem que nunca teve.

A mulher agora pensa mais em si, sabe valorizar-se, lutar por direitos, resguardar-se da dominação ideológica.

Dai que já deu. Chega de ficar dizendo que “uma boa mulher coloca o homem nos eixos”.

As mulheres, para o próprio bem do gênero, não sentem mais responsabilidade alguma sobre homem algum.

Esse papo de que mulher conserta parceiro coloca nela um peso desproporcional, descabido.

“Mulher não é clínica de reabilitação, é uma das partes de um relacionamento em que um ajuda o outro, mas cada um colhe de acordo com o que plantou”, como escreveu o dr Flávio Gikovate.

0 Comentários