A família é o mistério mais previsivel e incrível da nossa forma de organização social. 


"Em muitos casos, aquela pessoa que era tida como a “ovelha negra” da família, no decorrer da vida, conclui Carlos Baíaé ela que vai cuidar dos seus com atenção e, enterrá-los aos prantos". Algo que sintetiza literariamente o pensamento científico de Bert Hellinger, fundador da Constelação Familiar: 

 

Vamos conveniar, com calma, aqui entre nós um determinado conceito de família?


É crucial achar uma definição. Vamos primeiro ao que nos diz o dicionário sobre o termo família:

 “Designa-se por família o conjunto de pessoas que possuem grau de parentesco entre si e vivem na mesma casa, formando um lar”. 

Sendo que uma família tradicional é normalmente formada pelo pai e mãe, unidos por matrimônio ou união de fato, e por um ou mais filhos, compondo uma família nuclear ou elementar.


 

Quer saber em qual tipo de família a sua se encaixa?



Bora lá estudar melhor então. 

A constituição tradicional de família não é mais aquela nossa velha conhecida e universalmente reconhecida como única. Hoje, legalmente falando, há vários tipos de família. Vamos a eles, um por um, a seguir. 

 


Sociedade

Na sociedade, a família é considerada uma das instituições responsável por promover a educação dos filhos. Além de influenciar o comportamento dos mesmos no meio social. Consequentemente, podemos ver que o papel da família no desenvolvimento de cada indivíduo é de fundamental importância.

 

Essa importância se garante, porque é no seio familiar que são transmitidos os valores morais e sociais. Sendo que esses servirão de base para o processo de socialização da criança. Além disso, é pela família que as tradições e os costumes são perpetuados através de gerações.

 

No contexto biológico, a família é uma categoria da classificação sistemática que fica entre o gênero e a ordem.




A família segundo a constelação familiar


A Constelação familiar entende que a família é a base para que o ser humano se desenvolva. Sendo que esse desenvolvimento atinge todos os níveis: desenvolvimento físico, psíquico, espiritual e social. Ou seja, a família é o alicerce da formação do quem somos.

 

Dessa forma, precisamos ver a família como um alicerce, uma base que fundamenta tudo que será construído. É ali que nosso crescimento espiritual e racional tem início. Consequentemente, são os pais que ensinam às crianças o caminho da vida. Para isso é necessário dedicação, amor, empenho, renúncia para o desenvolvimento de um outro ser.

 

A dinâmica entre pais e filhos

No entanto, o empenho não pode ser apenas dos pais. O filho deve compreender todos os sacrifícios que os pais fazem. É necessário entender que eles são o que são e amá-los da forma que são. Sendo sempre grato por tudo que recebe, pois esse é o máximo que o pode ser dado.

 

Consequentemente, é preciso olhar para a nossa história com amor. Afinal, ela proporcionou o que somos hoje. Devemos, inclusive, olhar para nossos ancestrais com gratidão. Já que todos eles fazem parte do alicerce no qual nós nos construímos.

 

Os membros

O alicerce que chamamos de família é um sistema em que cada familiar é um membro do sistema. Sejam eles os parentes sanguíneos (pais, irmãos, tios, avós) vivos ou mortos e pessoas de outros sistemas familiares. Para ser considerado parte basta que esses tenham tido uma relação profunda de amor/desamor com algum membro do sistema.

 

Inclusive, é o amor o vínculo que mantém os membros de uma família unidos, mesmo que não tenhamos consciência desse amor. Porém, é preciso salientar que para uma fluidez verdadeira do amor é preciso respeitar algumas ordens do amor. Só assim haverá harmonia. Essas ordens são:

 

Ordem do pertencimento

Todas as pessoas que nascem ou são vinculadas a um sistema têm direito igual a pertencer a este núcleo. Ou seja, a pessoa é parte daquilo e tem direito a exercer seu papel enquanto membro do sistema.

 

Ordem ou Hierarquia

A harmonia do sistema depende do respeito à hierarquia. Isso significa que os primogênitos têm prevalência em relação ao quem chega depois. Se há o desrespeito em relação a isso, ocorrerão conflitos e competições.

 

Ordem do equilíbrio

O equilíbrio aqui tratado diz respeito a ação de dar e de receber. Não pode acontecer, entre os membros da família, que um se doe mais do que o outro. Essa situação significa uma injustiça e o sistema não aceita isso. Dessa forma, um filho não pode amar mais o pai do que o pai lhe ama. Isso gera conflitos e destruição entre os membros.

 

Tipos de família

Graças ao advento da Constituição Federal em 1988 a noção de família mudou. Isso porque passaram a ser reconhecidas outras formas de família. Sendo que essas são diferentes daquela considerada “tradicional”.

 

É importante dizer que, apesar de só serem reconhecidas agora, todas essas famílias já existiam. E, por isso, mereciam proteção e respeito. No entanto, essa situação só passou a ser respeitada após elas serem juridicamente reconhecidas. Foi a partir desse reconhecimento que elas passaram a ter seus direitos resguardados por lei.

 

Listamos aqui alguns nos tipos de família hoje reconhecidas. Dizemos alguns, pois nossa sociedade está em evolução. Dessa forma, outros tipos podem vir a existir nesse momento ou, até, se construírem. De qualquer forma, vamos a lista que temos hoje. Confira a lista abaixo!

 

Família monoparental

Essa família é composta por apenas um dos progenitores: pai ou mãe. Os motivos que possibilitam essa estrutura são diversos. Englobam causas circunstanciais como morte, abandono ou divórcio. Ou, ainda, uma decisão: o progenitor decide ter um filho de forma independente.

 

Família comunitária

Aqui todos os membros adultos que constituem o agregado familiar são responsáveis pela educação da criança.

 

Família arco-íris

Essa estrutura familiar é constituída por uma pessoal, ou casal homossexual que tenha uma ou mais crianças ao seus cuidados.

 

Família contemporânea

Essa família é caracterizada pela inversão dos papéis do homem e da mulher na estrutura familiar. Ou seja, passa a ser a mulher a chefe de família. Essa estrutura abrange a família monoparental, constituída por mãe solteira ou divorciada.

 

Família Matrimonial

Essa é aquela formada pelo casamento, tanto entre casais heterossexuais quanto homoafetivos. Se pensarmos nos tipos de família, esse se aproxima mais do que tradicionalmente vemos.

 

Família Informal

Essa família é formada por uma união estável, tanto entre casais heterossexuais quanto homoafetivos.

 

 

Família Anaparental

Para entendermos alguns tipos de família, precisamos entender o que significa o seu prefixo. Nesse caso, Ana corresponde a “sem”. Dessa forma, essa é uma família sem pais, ou seja, formada apenas por irmãos.

 

Família Unipessoal

Esse é o caso em que o “bem de família” vem a pertencer a uma única pessoa. Para ilustrar podemos pensar no caso de uma senhora viúva. Ela é única, vive sozinha, mas leva consigo a sua família, valores, heranças materiais e emocionais. Sua família permanece enquanto ela estiver viva.

 

Família Mosaico ou reconstituída

Essa estrutura familiar diz respeitos a pais que têm filhos e se separam. Sendo que, eventualmente, começam a viver com outra pessoa que também tem filhos de outros relacionamentos.

 


Família Simultânea/Paralela

Essa família se enquadra naqueles casos em que um indivíduo mantém duas relações ao mesmo tempo. Ou seja, o indivíduo é casado e mantém uma outra união estável, ou, mantém duas uniões estáveis ao mesmo tempo. Independente se uma das famílias saiba sobre a outra ou não.

 

Família Eudemonista

Essa é uma família afetiva, mas formada por uma parentalidade socioafetiva.



Moral da história.



Independente das diferenças entre os tipos de família, todas elas, essencialmente, influenciam quem somos. Consequentemente, todas são importantes para a constelação familiar e para nós. Não importa em qual tipo nos encaixamos, devemos ter amor e orgulho por ela. 

Como escreveu Rick Riordan: “Se há uma coisa que eu aprendi ao longo das eras é que você não pode desistir da sua família, não importa quanto se sinta tentado a isso”.

 


0 Comentários